Artistas em Pauta: Estúdio Galho

Os Artistas em Pauta de hoje, Edson Martone e Klivisson Campelouniram as raízes regionais nordestinas, Pernambuco e Paraíba e formaram o Estúdio Galhoum design que leva lembranças e histórias por meio de raízes territoriais. A dupla, assina peças como móveis, iluminação e utensílios, e se destacam pela sua qualidade estética e funcional proveniente de um minucioso processo criativo.


Sobre os Artistas:
 Nascido em 2018, o Estúdio Galho é fruto da fusão entre raízes regionais nordestinas. Formada por dois sócios e designers, Klivisson Campelo e Edson Martone, ambos graduados em Design de Produto pela Universidade Federal de Campina Grande e apaixonados por design em toda sua dimensão. A criação do Estúdio Galho surgiu, precisamente, em março de 2018. Na ocasião, decidimos arriscar dando o pontapé inicial na HighDesign Expo em agosto deste ano. Na feira, conseguimos expor para todo o Brasil, produtos que exalam tradição, cultura e brasilidade. O nome do estúdio surgiu a partir da expressão “cada macaco no seu galho”, traçando um paralelo com nossa outra marca, a Monkiy’s Design Studio, empresa voltada para a área de projeto de produto, branding e impressão 3D. A participação em concursos de design sempre esteve em pauta nas atividades do escritório, podemos citar o Salão Design, MCB, Objeto Brasil, Prêmio TokStok entre outros. Essas participações trouxeram resultados positivos, despertando o interesse e evidenciando o potencial de alguns projetos enviados, sempre figurando entre os finalistas. O Estúdio Galho vem para dar suporte, exclusivamente, ao âmbito do design autoral, se tornando uma ramificação independente, mas seu conceito nasceu da interligação com a função biológica e estrutura formal de um galho, no qual suas ramificações partem de um eixo central, que são interpretadas através da união e exploração territorial da riqueza cultural brasileira e de novas formas de uso, que assim como o brotar de folhas, flores e frutos, são sintetizadas em produtos que levam consigo a simplicidade, a beleza e o despertar memórias.

Conte um pouco sobre as características das suas peças. Comparamos nossos produtos com o próprio ser humano, com alma e com história, tendo em vista o conceito que cada um possui, algo que o justifica por meio da valorização de inspirações e referências da nossa cultura brasileira, seja local ou regional. Algo que está atrelado não só ao formal ou estético, mas também ao funcional, despertando significados, lembranças e sentimentos atrelada ao design emocional.


Quais são as suas referências para criar? Muitas referências vêm das lembranças das nossas infâncias, das brincadeiras e do próprio cenário do sertão, assim como utilizamos também referências que homenageiam outras culturas e principalmente a natureza, pois nos oferece diversas inspirações (forma, cor, textura e função) que tentamos traduzir e transformar em produto através da semântica, gerando o que é chamado de design emocional. Um exemplo seria a luminária Badok, inspirada no estilingue, artefato utilizado como brinquedo infantil que possui diferentes denominações, a depender da região brasileira, mas que contém uma carga cultural elevada em se tratando do Nordeste.


Qual é a sua maior motivação para criar? Somos impulsionados pelo desejo de conceber produtos carregados de brasilidade, regionalismo e funcionalidade. A cultura brasileira é muito rica e diversificada. Capturar frações desse universo e traduzi-las em objetos é nosso maior objetivo.

Quais são as suas ferramentas de trabalho? O processo criativo parte de um pensamento sistemático relativo à referência encontrada. Tudo começa no papel, esboços rápidos, quase viscerais, representam a ideia “crua”. Em seguida, passamos a trabalhar o conceito por meio de discussões, modificações, modelagem 3D, simulação de possíveis materiais etc. O próximo passo é construir modelos físicos representacionais, assim podemos avaliar uma série de questões que passam despercebidas no modelo digital. Enfim, partimos para a prototipagem final do produto.

Qual foi o projeto que mais marcou? Acreditamos que o que mais marcou e vem marcando, foi projeto do Estúdio Galho junto aos seus produtos. O amor pelo design e a busca pela realização do sonho de entrar no mercado nacional, bem como a participação em uma feira de design, foi o ponto de partida para decidimos criar o nome do estúdio, preparar os produtos e arriscar, escolhendo o HighDesign Expo como nossa vitrine. Todos os preparativos, branding, criação, amadurecimento projetual, prototipagem até o produto final, foram inesquecíveis, vez que ficamos surpresos com o resultado que conseguimos, juntamente com nossa ida e a boa receptividade por partes dos visitantes do evento, isso sim nos marcou, e irá ficar marcado pelo resto de nossas vidas.

Quais são os seus maiores desafios? Somos 75% práticos, o que faz sermos parte criativa e produção, simultaneamente. A parte de administração, vendas e outras, são áreas que estamos aprendendo com o dia a dia. O mercado existe, bem como existem algumas barreiras e dificuldades normais de todo início, mas permanecemos firmes no objetivo de alavancar o Estúdio Galho, pois acreditamos muito no potencial do design autoral nacional.

Como é visto o design brasileiro na opinião de vocês? Na nossa opinião, o design brasileiro, no que diz respeito a área de moveis, iluminação e decoração, está em bastante ascensão e valorização quanto à busca pelo design autoral, uma vez que este está se tornando cada vez mais evidente e diferencial. Somos um país com uma cultura tão forte, tão rica, por quê buscar lá fora? Temos o potencial de fortalecer a identidade do nosso design.

Vocês levam a arte de vocês em forma de peças para dentro da casa das pessoas. Como você é isso para vocês? É muito gratificante, principalmente quando vemos a satisfação e recebemos um feedback positivo do cliente. Acredito que é algo que todo designer ou profissional da área de criação e desenvolvimento deseja. As coisas ainda estão “saindo do forno”, pois estamos iniciando, mas acreditamos muito no potencial dos nossos produtos.

Sincera – luminária pendente que leva consigo a brasilidade cultural nordestina quanto representação formal e material. Sua inspiração partiu do artefato conhecido como: sino ou chocalho de boi, instrumento que auxilia o agricultor para identificar a localização dos animais através do som em meio aos obstáculos visuais do campo.


Badok – desperta lembranças da nossa infância, tendo como inspiração o brinquedo infantil artesanal conhecido em regiões brasileiras por badoque, bodoque, estilingue, balinheira, atiradeira, entre outros sinônimos. Originalmente, o mesmo é reconhecido por conter um galho bifurcado em forma de “Y”, que possui elásticos presos em suas extremidades, contendo em seu centro uma peça em couro, local no qual é posicionado o projétil para ser arremessado. A partir desses referências, a BADOK resultou em uma luminária de mesa com um design cômico, atemporal e minimalista, ideal para ambientes descontraídos e espontâneos.


Burrego – o revisteiro e cavalete burrego, usa da referência nordestina para homenagear esse animal que tanto ajudou o homem na sua vida diária e no desenvolvimento socioeconômico dos sertanejos, o Burro. Também conhecido como jumento, jegue, jerico ou asno. O Equino é identificado visualmente pela pelugem cinza na parte superior e branca na parte inferior, e por sua excelente resistência física.

O revisteiro além de sua função trivial, com possibilidade de armazenar objetos em suas bolsas de couro, conhecidas como bruacas, acessório que é utilizado no lombo do animal para transportar a carga durante a viagem. Um par pode ser utilizado junto a um tampo para compor uma mesa.


Matriona – inspirada nas famosas Matrioska, conhecidas como ‘Bonecas Russas’. O conjunto de vasos MATRIONA, que se encaixam entre si, transportam a ideia intrínseca de maternidade e fertilidade, ao processo de crescimento da planta, unindo a valorização territorial por meio da cerâmica de barro confeccionada artesanalmente com o diferencial da função de auto-irrigação por capilaridade, se tornando ideal para pequenos espaços.


Praêra – Uma mistura de populares cadeiras de balanço de “macarrão” ou “espaguete” utilizadas em cidades interioranas com as cadeiras de praia, utilizadas na orla nordestina.


Conheça mais o trabalho do Estúdio Galho no Instagram

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s