Artista em Pauta: Patrícia Peixoto do Paira

A Artista em Pauta, Patrícia Peixoto, é designer e produz peças artesanais cheias de composições vibrantes. Na entrevista, ela nos conta um pouco do seu trabalho, desafios e sua relação com a arte manual.

Sobre a Artista: Sou formada em design pela Puc Rio e atualmente curso o mestrado em design na UnB, onde estudo as relações entre o fazer manual e a autonomia.

O que significa Paira? Paira é um nome que surgiu quando eu pesquisava sobre o meu TCC. Fala sobre as relações existentes entre a roupa e o corpo, a roupa portanto sendo um objeto que paira entre a pele e o que é externo a ela.

Quais são as suas referências e inspirações? Limite. Tenho feito um exercício de tentar desenhar as formas que vejo até o limite antes de se tornarem algo abstrato. E ai quando sinto que cheguei nesse limite, ando um passo pra frente se quero que o objeto se perca totalmente, ou volto um passo pra trás, caso queira que ele fique evidente. Ah, e cores também. Gosto de tentar pensar em composições que vibrem bastante. Ando bastante alaranjada ultimamente ahhaha

Qual é o seu processo criativo para a construção das peças? Sou designer, e minha habilitação específica é moda. Acho que passei muito tempo pensando na forma das roupas e isso fez com que nesse momento eu esteja um pouco cansada das formas do tecido. Ando com vontade que tudo seja uma telona branca. Por isso tenho desenvolvido peças que eu possa tratar como tal: almofadas, bolsas, painéis, mantas…tudo que a superfície principal me de liberdade para pintar o quanto eu desejar hahaha Mas respondendo mais diretamente a pergunta, eu primeiro penso nas peças, faço eu mesma a modelagem, levo pra costureira, e só depois de elas estarem 100% costuradas, é que eu começo a pintar.

Imagem: acervo Paira

Nos conte sobre o seu projeto com tintas naturais: Eu amo trabalhar com cores. E foi natural que logo que resolvi mergulhar nesse mundo do fazer manual chegasse na etapa de pensar sobre o processo de fabricação da minha principal matéria prima. Por natureza, ou pela minha formação, não sei dizer, mas eu sempre tento pensar em todas as etapas de um processo, em todos os pensamentos que levam a uma solução. E começar a estudar as tintas naturais foi assim. Meu movimento inicial, quando comecei a ter contato com o universo das tintas naturais, foi querer transformar toda a minha produção em natural. Substituir todas as tintas artificiais por naturais. Mas o que logo esse processo me ensinou foi a ter calma e a estudar. O processo de fazer tintas naturais é super lento, demanda logística e muito muito MUITO estudo. É algo que eu estou amando entrar em contato, mas que descobri ser só a pontinha do iceberg de algo que quero me aprofundar muito mais e ao qual pretendo me dedicar bastante, como já venho fazendo. O resultado é um produto único e com cores que as tintas artificiais jamais conseguiram contemplar. Mas por outro lado é um processo que exige muita dedicação e atenção, e uma certa predisposição de quem vai consumir o produto também, pois uma peça que é pintada com cúrcuma, ruibarbo e cebola, pode sempre apresentar uma manchinha de outra cor no processo. E tudo bem, pois isso é que torna esse processo tão único…mas perceber isso também foi um aprendizado. Na Paira, de modo geral, utilizo tintas a base d’agua, sem solventes. Já a Linha Terra, é a uma linha super especial da Paira onde desenvolver apenas peças feitas com tintas naturais.

Imagem: acervo Paira

Quais são os seus maiores desafios? Sem sombra de duvida foi essa adequação do processo de fazer as tintas naturais. E o reconhecimento de que eu não iria conseguir fazer tudo de maneira natural. Pelo menos não nesse momento, onde sou o único par de mãos responsável por pintar todas as peças hahaha Acho que meu maior desafio de todos na verdade foi entender que as tintas naturais mudavam de uma maneira que eu nao estava acostumada com as convencionais. Dependendo do ingrediente, quando sai do tacho a tinta está de uma cor, no tecido é uma, e no papel outra…e após a primeira lavagem, muda de cor de novo. Foram testes e mais testes para chegar aos resultados disponíveis na linha terra, por isso tenho tanto orgulho dessas peças ❤

Você leva a sua arte para dentro da casa das pessoas. Como você é isso para você? Eu me sinto bastante agradecida por isso, ne? Amo ver as fotos que as pessoas mandam das casas delas! ❤ Ou mais ainda, quando mandam a foto do ambiente e pedem para eu fazer algo pensando em um espaço específico!

______________________________________________________________________________

Conheça mais o trabalho da Patrícia Peixoto através do site e Instagram.

Conhece alguém que pode se interessar pelo design artesanal? Então compartilhe nosso artigo em seu Facebook e incentive outros a refletirem sobre o assunto.

Até nossa próxima conversa 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s